sábado, 18 de fevereiro de 2017

#Mamãe cansada



Mamãe no ano passado teve que se separar do papai, pois não podia mais conviver com a insegurança, com a falta de compromisso e companheirismo do papai. Mamãe  não sentia que ele tinha amor por ela e por você filho, então ela tomou uma decisão radical, ir embora com você temporariamente para a casa do vovós.
Papai quis voltar atrás, mas já estava tudo errado, mamãe também já era mais companheira, não fiel, não honesta com o papai, por que ambos deixaram outros entrarem na nossa vida. Mamãe precisava pensar, pois ela tem você, o importante era você não sentir o peso que estava sendo para o Papai e Mamãe.
Meses se passaram filho, você sentiu do mesmo jeito, quantas vezes mamãe chorou pra saber o que fazer, pois ela não confiava mais no papai, muitas coisas em nossas vidas estavam mudadas. Mamãe queria uma vida nova, pra ela e pra você, em todos os momentos ela sempre pensou em nós dois, por mais que o papai quisesse acusar que estávamos fazendo mal, mamãe estava ficando bem, somente agora precisava de uma casa só pra ela e você, pois ela se sentia intrusa e parecia incomodar na casa dos vovôs, afinal, agora eu era a filha separada e com neto, é diferente.
Pois depois que baixamos a guarda, a vida me mostrou que talvez o tempo tenha ensinado algumas coisas pra ela e principalmente para o Papai, nós voltamos filho, Mamãe pensou mais em você, para que você tivesse uma família de verdade, com o pai e mãe biológicos juntos, uma coisa que papai e mamãe não tiveram. Papai prometeu até que daria um irmão ou irmã pra você se voltássemos, que iriamos voltar pra igreja e iriamos estar mais próximos, nós 3 juntinhos.

No começo foi muito difícil, ainda desconfiávamos um do outro, mas passou um período e mamãe começou a acreditar que poderíamos formar uma família de verdade, mas depois de alguns meses, mamãe estava preparada para te dar uma irmã, ela pediu ao papai, e ele disse que sim, mas agora ele evitava a mamãe, disse que não sentia falta "daquilo", como um marido não sente falta "daquilo" com a esposa, mamãe se sentiu insegura de novo, depois disso, o mundo da mamãe caiu, ela viu coisas, ela sentiu coisas desagradáveis, seu companheiro voltou a sumir, tudo é ela, cuidar de você, cuidar da casa, além de trabalhar fora, mamãe não pode cansar, o papai acha ruim quando é acordado, por dorme a noite, mas ele meu filho, dorme o dia todo, enquanto eu e você estamos na creche, e quando eu chego, ele ainda está cansado para me ajudar, e eu tenho que tirar força das dores na perna e cansaço físico e mental para fazer comida, para arrumar a casa, sabe o sábado e domingo, mamãe não tem folga, por que é folga do papai, sabe quando a mamãe inventa de sair só nós três, as vezes o papai vai, mas ele nao demonstra gosto de sair com a gente, pois sempre está impaciente e arruma uma picuinha com a gente. Enquanto evito de disciplinar, ele só ameaça ter bater, ele não sabe conversar com você, mesmo errada, me intrometo, pois sei que sofre com a falta de carinho dele, as vezes buscar te acarinhar, mas não é tão presente quanto poderia.

Fiquei chateada com o Papai de novo, pois ele disse a Mamãe que se arrepende de ter prometido ter outro filho com ela, de procurar Deus para nossa família, pois não sabe se pode cumprir. Ele acha ruim tudo que a mamãe faz ou propõe, pedi a ele que fosse na sua reunião, pois ele estava em casa, e mamãe não conseguiria ir, ele sempre dá a desculpa que está dormindo demais, e ironiza para a mamãe: "Desculpa por trabalhar a noite", e dai né filho, Mamãe trabalha de dia e ainda assim quando chega em casa, trabalha mais um pouco sendo mãe, esposa e dona de casa e ai de mim ficar cansada.
As vezes acho que o papai finge ser legal com a gente, quando digo que não vou fazer comida hoje, ele deixa, só que ele não faz, se eu não arrumar a casa, ele não arruma, a mãe não pode deixar você na sujeira ou com fome, ou comendo só besteira. Mãe faz com carinho pra você, mas triste com o papai.

Desculpa filho as vezes dizer, depois, pois ela tem que fazer coisas, e quando ela pede para o papai, ele finge que esqueceu ou simplesmente vai dormir ou sair e diz que não deu tempo, por isso mamãe corre para dar tempo de dar conta.

Mãe gostaria de ser somente você e eu de novo, sabe o irmãozinho ou irmãzinha que a mamãe gostaria de te dar, acho que Papai do Céu decidiu adiar, pois talvez não seja o momento, pois pra ser mais uma criança com pai ausente, seria egoismo da mamãe!!

Mamãe quer uma vida diferente, Papai do Céu está olhando tudo e sabe que se entristece com os pensamentos da mamãe, mas Ele também e Pai e nunca abandona os seus!

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Deixem sua opinião com respeito...


O que acham dessa foto?
Foto tirada do Facebook

A um tempo atrás achei essa imagem em um grupo no Facebook, e fiquei chocada com algumas mães dizendo que concordam que o corpo da mulher é dela e ela faz o quiser, sim, sim,  concordo plenamente, mas ela tem que tomar conhecimento que um feto, um espermatozoide já uma vida e que se ela decide acabar com aquele feto, ela está tirando uma vida, logo quem tira a vida de alguém é assassino.

E o estupro? Sei que tem o caso do estupro, mas vou falar por mim, hoje sou mãe e amo muito meu filho, veio antes do tempo, não planejei, mas logo que soube que estava gravida, amei desde o primeiro momento, se eu tivesse sido estuprada, não sei dizer se amaria tanto essa criança, mas teria a consciência de uma coisa, o bebê também não tem culpa, não posso lhe tirar a vida por que um cafajeste me fez mal, não vou retribuir isso a outro ser humano sem culpa, sem pecado, teria-o até o fim e independente de quem seja o pai, iria até fim e se mesmo assim não houvesse amor para dar, daria para adoção, proporcionaria isso para quem precisa também amar e ser amado como pai e mãe. 

Talvez muitos não concordam com a atitude que teria, mas são meus princípios e queria compartilhar não tirar a vida de um inocente. Queria compartilhar minha opinião humildemente, pois sempre há uma saída melhor que "matar".

O mundo como disse algumas vezes por ai, está todo ao avesso!!

E vocês o que acham?

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Inclusão desde sempre, em casa, na escola, na vida...

Hoje participei de uma palestra que falava sobre Praticas Pedagógicas Inclusivas, poucas sabem, mas sou Professora de Educação Infantil.
Como Professora de Educação Infantil estou com 2 anos, já cheguei a lecionar para o Ensino Fundamental, até que gosto, mas prefiro os anos iniciais mesmo, porém investir na Educação Infantil e sim me adaptei rapidamente e pretendo crescer nessa área, vamos ver o que Deus prepara!

Mas hoje aproveitando a palestra que fala sobre a Inclusão da criança nas CEIs, vim mostrar algumas ideias e vídeos sobre isso, seria ideal que nós Pais, já ensinemos nossos filhos desde casa a respeitar e aceitar diferenças. Eu achei bem bacana o dia, pois aprendi como professora e aprendi como mãe. Meu filho nasceu sem nenhuma deficiência, pretendo ter mais filhos e se eles vierem com alguma, e se algum familiar meu tiver um filho com necessidades especiais?

Eu já tive alunos assim no Ensino Fundamental e posso assegurar que foi um desafio, porém gratificante, poder sonhar e fazer acredita-la que ela podia mais e ver o desejo dela de fazer mais;

Deixo para vocês uma frase de Maria Teresa Egler Mantoan
Os pais são os grandes aliados dos que estão empenhados na construção da nova escola brasileira - a escola inclusiva, aberta às diferenças. Eles são uma força estimuladora e reivindicadora dessa tão almejada recriação da escola, exigindo o melhor para seus filhos, com e sem deficiências, e não se contentando com projetos e programas que continuem batendo nas mesmas teclas e/ou maquilam o que sempre existiu.

E deixo a vocês dois filmes muito interessantes para compreenderem o que se passa na sala de aula, o que uma criança pode acrescentar a outra e como é importante os pais na vida escolar, um é bem curtinho e gostaria muito que visse, o outro já um filme, caso nao assistam agora, peço que copiem para assistir depois, mas vejam em algum momento, o problema é que nao achei nenhum dos dois dublados, somente legendados.

 A Corda


Como Estrelas na Terra, toda criança é especial


Espero que aproveitem essa oportunidade de conhecer mais o mundo das crianças, acho importante isso não só como professora, mas como mãe, as vezes as crianças querem nos dizer coisas sem dizer, e precisamos não só estar com os ouvidos prontos, mas olhos atentos a suas expressões faciais, corporais e por ai vai...



quarta-feira, 20 de julho de 2016

Convite | 1º Sarau para bebês - LDB | até 3 anos | Casa de Viver

Oi!



É com grande alegria que o Literatura de Berço convida mães, pais e bebês (de até 3 anos) a celebrarem a vida com poesia e música no dia 27 de julho , das 14h às 16h, na Casa de Viver.
Em uma tarde alegre e inspiradora, mães, pais e bebês poderão declamar poesias, contar histórias e balbuciar a vontade. A ideia é fazer com que os nossos bebês experienciem o universo da literatura de uma forma diferente: ouvindo seus pais narrarem, se divertirem, cantarem e até se emocionarem com as palavras!
Como recordação, faremos a compilação do que foi lido e produziremos um pequeno livro digital aos participantes. Contaremos com a fotografa Katia Lopes, que é mãe e participou dos primeiros encontros do LDB com a Sara.


SERVIÇO
1º Sarau Literatura de Berço
Data e hora: 27/07/16 das 14h às 16h
Local: Casa de Viver
Endereço: Rua Dr. Tirso Martins, 280. Vila Mariana
Público: Famílias com bebês de até 3 anos
Inscrições e informações : ldberco@gmail.com
Ingresso por bebê + adulto : R$ 20,00
por adulto e/ou criança "extra": R$ 8,00
Compra online https://www.eventbrite.com.br/e/1o-sarau-para-bebes-literatura-de-berco-tickets-26440543377

Área de anexos

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

#Resenha Trilpa: O Livro que só queria ser lido+O Menino Invisivel+Os Anões de Mântua

Hoje quero mostrar para vocês mais resenhas de livros infantis para ser lido para os filhos ou por eles mesmo!

Espero que gostem das minhas sugestões!!

O Livro que só queria ser lido e O Menino Invisivel

O livro conta a historia de um Livro (risos) que já fora lido por muitos daquela casa, mas que atualmente foi deixado de lado, ele triste encontra um amigo também a muito tempo esquecido, a maquina de escrever de um antigo escritor conhecido, juntos dividem uma amizade de varias lembranças e historias, mas o que mal eles podiam esperar que seriam separados, pois a maquina estaria sendo vendida para quem sabe um colecionar de peças antigas ou museu, e logo o Livro estaria só novamente, até que que surge a esperança de ser lembrado, quando há um falecimento de um tio muito querido pela família daquela casa, o qual trouxe este livro para lá, sendo assim há uma herança a receber e somente aquele livro poderá afortunar-los.
Pode ser que você já suspeite o que acontece, mas saiba que vale a pena ler, pois é simples leitura, não encontrei indicação faixa etária para leitura, mas também acredito que seja para qualquer idade na fase escolar.


Esse livro foi consumido em 2 dias (trabalho e tenho filho pequeno, imagina), mas é uma historinha divertida, logo que começou, me entusiasmei demais, logo após algumas paginas, tive medo da historia mudar de rumo e perder o encanto, mas logo mais a frente foi divertido ver o enredo, não foi como imaginava, mas seguiu bem. Samuca teve que ficar com uns vizinhos pois não era permitido crianças viajarem para Lua, viagem que os pais dele ganharam, no decorrer da historia descobrimos que seus vizinhos não são tão legais assim, mas para poder fugir de toda maldade, ele encontra um amigo meio esquisito que veio de outro planeta e adora Ketchup, Há uma sincronia bem legal, mesmo a historia sendo bem fantasiosa, não tem como não gostar, é de fácil indicação para uma criança, pois sua leitura é simples e gostosa e vem com algumas ilustrações. Sobre indicação de faixa etária o livro não diz, mas é como disse antes é de fácil interpretação, então pode ser lido para crianças que já entendo mais de historias ou as que já estão aprendendo a ler.


Os Anões de Mântua
Essa historia, havia me esquecido de indicar no post de divulgação dos livros, mas foi um dos livros que me propus a ler e indicar e não me arrependi, este livro foi baseado através do Palácio do Duque de Mântua, que mantinha uma ala parecendo casa de bonecas, mas não, são as casinhas de anões que viviam presos no palácio. a historia é muito divertida e bem ilustrada, ela é fácil leitura, eu mesma consegui ler em um dia só e foi totalmente na hora do meu almoço, terminei minha hora, tinha terminado o livro, mas mesmo assim não tem como não se encantar com a historia, eu super indico. Essa historia conta sobre os anões de Mântua, mas foi baseada em outra historia, escrita por Gianni Rodari que aproveitou alguns personagens da Opera Rigoletto de Giuseppe Verdi, ele cria a historia se baseando na fuga dos anões do palácio e como a comunidade os ajudaram a se esconderem e como eles se livraram de muitos guardas, principalmente do Capitão Trovão que adoraria pegar os anões de volta. Com muita ilustração e diálogos simples e rápidos, algumas vezes contando com rimas, você navega na historia rapidamente. Como já havia escrito, Super Indico.

Essas são minhas indicações para livros infantis que podem ser lidos por eles, por nós pais e por eles professores!!

Espero que tenham curtido minhas escolhas para leitura, eu particularmente, não me arrependi de nenhum, tem uns que gostei mais de outros, mas todos escolhi a dedo e foi muito boa a leitura!

Beijos!

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

#Livros para as crianças

Boa Noite Mamães, Tias, Professoras e etc...

Há um tempo atrás que gostaria de publicar algumas ideias de livros para serem lidos para nossos filhos, eu além de ler para as crianças na creche e para meu menino, gosto de ler as vezes por ler, e gostaria de compartilhar com vocês algumas historias que já li.


Chega de "Xurumelas"
Tenho aqui pequenas resenhas de livros do gênero Infanto-Juvenil, que consegui através do projeto Esqueça um Livro. Gostaria de compartilhar com vocês historias mesmo infantis, mas que nos fazem refletir sobre a vida, uma vezes dramaticamente, outras simples.

Hoje meu post será de divulgação dos livros e durante a semana irei soltar as resenhas.

E vamos lá...

Se até as Arvores Morrem
Sinopse:

Sozinhos num corredor de hospital, Matias e Celina aguardam. O pai deles está em coma e a mãe, entregue à dor. Sem saber como agir, as duas crianças criam um mundo imaginário em que o pai é a Grande Águia, um herói mais forte do que a morte, que fará tudo voltar a ser como antes. Mas isso não pode durar para sempre. São as palavras de um velho faxineiro africano que vão ajudá-las a elaborar a perda, mostrando-lhes que é preciso reaprender a viver.




Resenha
Este livro me emocionou muito, eu o li com profundidade, pois é um tema difícil para lidar com crianças na historia, mas a autora conseguiu transmitir sua ideia e uma lição, sem precisar colocar o assunto tão forte. O trama conta a historia do pai em coma, a mãe totalmente perdida, e consequentemente duas crianças perdidas, mas ainda sendo criança, Matias e Celina encaram toda essa trajetória de idas e vindas de casa para o hospital, hospital para a casa como uma missão. Eles acreditam que o papai, que é a Grande Águia está em uma missão o qual quando voltar estará mais forte do nunca, vencendo assim a morte, a historia mostra o quanto uma dor pode aproximar as pessoas, mas TAMBÉM, pode afasta-las se não for resolvida a aceitação, É isso que acontece, uma mãe perdida com crianças que não entendem a morte, cabe a elas criar seus mundos onde o Pai é a fortaleza e a mãe Pluma Branca. Há uma enfermeira e um faxineiro (que aparece no final) que querem ajudar a família, mas cada ajuda oferecida pode ser de um "inimigo" querendo desvia-los da missão que é esperar a Grande Águia, até amigos de escola podem ser perigosos, pois não pode haver momento de descontração neste momento tão importante e crucial, somente no final com um pouco de custo o nosso amigo faxineiro faz o isolamento dessa família acabar. Sua leitura é indicada a partir dos 13 anos




O Peixe que podia cantar
Sinopse:

Um viajante-explorador rouba, em nome da ciência, a razão de ser de uma comunidade rural: o peixe cantor e contador de histórias. Mas, fora de seu meio, o bicho não canta e nem fala, até que é finalmente abandonado. Nesta história, o foco no etnocentrismo e na diversidade cultural revela que é do respeito pela diferença e pelo reconhecimento da pluralidade que pode nascer um mundo melhor.







Resenha

O peixe que podia cantar traz dois temas importantes: o respeito pela diferença e a valorização da cultura de cada lugar. A narrativa envolvente de Ricardo Azevedo, com certo tom de folclore, de fantasia e de parábola, é cheia de metáforas e de imagens que remetem a situações de intolerância e exploração diante do diferente.

A historia é bem infantil, indicada a partir dos 8/9, mas legalzinha para ler, acredito que para uma criança a leitura seria muito aproveitosa e divertida, conta a historia de um peixe, esse peixe é uma lenda numa comunidade distante, desde sempre ele fica em cima de um arvore, cantando todas as tardes para o povo da comunidade e todos eles viviam felizes aos sons de suas canções e historias, porém chega no povoado um pesquisador-viajante que fica admirado pelo peixe e antes mesmo de saber sua origem e como aquilo era possível, rouba-o, a comunidade somente descobre depois do viajante já ter ido embora, neste momento os habitantes entram em total tristeza, até os animais vivem infelizes, porém no caminho, o viajante descobre que acima de tudo, principalmente de seu egoismo, há sentimentos e magias o qual permitem que o peixe longe da aldeia seja somente um peixe, jogado então como inútil em um córrego, o peixe agora busca encontrar o caminho de volta para casa!
É uma historia simples e rápida, pode ser lida em um dia, tem muitas ilustrações que nos ajudam a imaginar o cenario, mas minha indicação é para quem realmente curte livros infantis.


É hoje é o post duplo que fiz, espero que a resenha tenha ajudado a vocês curtirem o livro, ou gostar um pouco, confesso que o 1º me cativou mais, mas vou guardar ambos o livros para o meu filho quando começar a ler!




sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

#Férias, quero mais dela...

Curta seu filho ou sua filha!

Você precisa trabalhar ou ele (a) precisa ir a escola, sim!

Mas quando puder curta o seu filho (a), pois os anos passam rápido, numa velocidade o qual não entendemos, quando acordamos e pensamos nossa temos o dia todo, mas no fim na hora de dormir nos perguntamos, nossa já se passou dois dias, estamos numa quarta e ontem era domingo...


Sim não conseguimos entender o tempo e enquanto isso rola, nossos filhos ganham centímetros e maturidade que não vimos por onde chegou.

Seja uma pracinha, um parque, seja parque de diversões daqueles de ruas ou de shopping, seja uma piscina ou uma praia, esteja com seu filho, brinque com ele, observe quando ele te chamar e pra te mostrar algo extraordinário que ele está fazendo!

Depois de muito tempo, conseguir juntar duas coisas importantes para que eu tivesse uma boa viagem, tempo e dinheiro, quando tinha um, não tinha outro, fui cobrada por não levar meu filho para passear, porém ninguém sabia, mas fiz o que podia para me divertir com ele nos tempos sóbrios que tínhamos, mas também sentia falta de uma viagem o qual pudesse tirar meu filho daquela rotina de ficar entre, casa, creche, bairro de casa e etc...
Meu filho só viu o mar com 3 meses de idade, agora com 2 anos e 3 conseguir realizar meu sonho de faze-lo reconhecer o MAR, foi algo tão incrível, sim dei toda a importância se ele ficaria com medo ou não, fomos aos poucos apresentando ele ao mar, entramos para mostrar o que acontecia e como devem imaginar ele se entregou, foi uma alegria pra ele, mas pra mim foi UMA ALEGRIA e satisfação, brinquei com ele, sem me preocupar em acordar cedo no dia seguinte, podíamos nos encher de areia que não precisávamos limpar, não corri contra tempo, alias, os tempo ficou a nosso favor, pois brincamos e brincamos e tempo não passou correndo como seria em nossa rotina em casa.

Voltei para casa com sonho realizado, pois não sei como será esse ano, mas pude ter o tempo que queria
com meu filho, aos poucos fui voltando ao trabalho e logo ele voltará a creche, o bom é que ele fica na mesma que trabalho, mas o bom é que quando olhar pra ele, vou ver que conseguir ser mãe totalmente entregue, logico que esse ano em mais oportunidades vou fazer nossos passeios, brincadeiras, mas sei que serão rapidos, mas o suficiente para serem prazerosos, mas como foi bom ter Férias com meu filho!!!